Share Talks Vix: co-criação e influenciadores são destaques no evento

No dia 20 de outubro aconteceu lá no auditório da Rede Gazeta a edição de 2018 do Share Talks Vix. O evento itinerante roda o Brasil inteiro com palestras sobre as últimas tendências do marketing digital e conta sempre com grandes nomes do mercado nacional e cases impressionantes. É claro que a agência Danza esteve presente para acompanhar todas as tendências digitais.

Quer saber o que rolou por lá? Fique ligado no resumão que preparamos:

Como construir um conteúdo co-criado, por Gabriela Antoniassi (Bradesco)

Na primeira palestra do dia, a Analista de Planejamento e Conteúdo em Mídias Sociais do banco Bradesco, Gabriela Antoniassi, compartilhou sua experiência em permitir que o público crie suas próprias histórias através das plataformas da empresa.

Ela diz que ao trabalhar com influenciadores ou criadores de conteúdo, é importante co-criar para que a publicidade seja mais efetiva. “Ninguém sabe mais como comunicar para o público que o próprio influencer”, disse Gabriela.

Creative Now: a metodologia criativa baseada em dados da W3haus, por Vinícius França (W3haus)

“A propaganda deixou de ser interrupção. Ela precisa passar a fazer parte da conversa”. – Vinícius França

O dia seguiu com insights interessantes sobre a forma do público de consumir a informação. França provocou os presentes com indagações sobre a nova e a tradicional forma de fazer publicidade.
Antes a propaganda era considerada a interrupção de um conteúdo, hoje o consumidor adquiriu uma “cegueira” para as formas mais tradicionais da publicidade, então é necessário se inserir ou até mesmo ser o conteúdo que o cliente da marca consome.

França apresentou o case de uma música produzida para a campanha de um cliente que virou um hit de sucesso, ficando entre as mais tocadas do momento. O que era publicidade acabou sendo reconhecida e adotada pelo consumidor como parte do conteúdo que ele consome. E é isso que devemos ter em mente, de acordo com o palestrante. Fazer parte da jornada do consumidor, não mais interrompê-la.

Referral Marketing – Como gerar novas vendas utilizando apenas indicações de seus clientes atuais, por Rodrigo Noll (SB Tour)

Na última palestra antes do intervalo, Rodrigo Noll compartilhou com os presentes as suas técnicas e métodos de fazer marketing através de depoimentos de consumidores. De acordo com ele, “indicar amigos para uma empresa é o ato de emprestar sua credibilidade a ela”. O consumidor tende a acreditar mais em depoimentos de consumidores que em uma propaganda da própria empresa. A credibilidade aumenta muito mais quando quem indica é de sua confiança.
Basicamente ele apresentou, em etapas, como identificar os clientes mais propícios a falar bem de sua empresa e como fazer com que ele divulgue o serviço com seus amigos.

Etnografia digital: identificando públicos e direcionando conteúdos online, por Bruno Honório (Mutato)

Ao retornar do intervalo, Bruno Honório, analista de insights da agência Mutato, falou sobre a importância de entender os comportamento dos indivíduos a partir dos vários cenários em que estão inseridos. De acordo com o profissional, é o comportamento que gera a atitude e a decisão do consumidor. Portanto, é necessário compreender todos os fatores que influenciam as práticas dos sujeitos, como seus grupos de convivência, sua história social, suas linguagens e formas de comunicação, entre outros.

Honório concluiu a palestra indicando qual seria o pontapé inicial para começar a mapear seu público: “entender pessoas e comportamentos requer absorver diferentes culturas, sair da sua zona de conforto”.

Pirâmide de influência e o papel do microinfluenciador, por Carlos Tristan (Squid)

Em mais uma palestra o micro influenciador e a importância de produzir o conteúdo em conjunto ganha destaque. Tristan afirmou que o marketing de influência é mais autêntico e gera mais credibilidade no consumidor. A marca se torna mais humanizada quando representada por influenciadores que se aproximam do público.

O profissional mostrou, ainda, que a quantidade de seguidores não é o fator mais importante para que sua campanha faça sucesso. É muito mais importante “mirar” no nicho da influência e saber abordar o público definido. É possível criar campanhas com muito menos custo e, como consequência, mais resultado sobre o investimento.

Storytelling – o que a publicidade pode aprender com filmes, séries e livros, por Bruno Scartozzoni (StoryTalks)

O que O Rei Leão, Game of Thrones e a novela da Globo tem em comum? São obras carregadas de elementos que mexem com as nossas emoções e prendem nossa atenção.

Os mesmos elementos da série ou do filme podem (e devem) ser usados para a publicidade. Criar uma história cativante para a marca é a diferença crucial entre um “pular anúncio” e uma curtida nas redes sociais. A arte do storytelling é usar a emoção do espectador a favor de sua marca ou do seu produto.

Mas o storytelling não acontece apenas em vídeos de vários minutos. Ele pode estar presente em uma imagem carregada de significados, por exemplo, ou até mesmo um texto em uma página de jornal. Entre os cases apresentados por Scartozzoni, a despedida da Kombi foi certamente um dos que mais comoveu.

 

Como criar campanha e ações com influenciadores digitais, por Thais Mara (Youpix)

Na última palestra da tarde, a diretora criativa da Youpix, Thais Mara, apresentou o poder do digital e as mudanças que gerou ele nas propagandas. Segundo ela, o ambiente digital permite o protagonismo das pessoas. Mais ativos do que nunca nos processos de criação, os indivíduos sentem a necessidade de identificação. Para isso, os influenciadores são ótimos aliados. Eles se conectam de maneira mais aproximada com as sujeitos.Sobre isso, Mara ainda chama atenção para a importância de segmentar os públicos. “Falar com um audiência é mais importante do que agregar várias”, ela afirma.

Viu quanta coisa bacana rolou por lá? Foi uma experiência extraordinária, cheia de insights fresquinhos dos palestrantes. Além disso, tivemos momentos com muita troca de conhecimento entre as empresas, agências e influenciadores presentes. Já estamos esperando ansiosos para o Share Talks do ano que vem.

Gostou? Compartilhe: